Sem categoria

Episódio 10

Episódio 10

O depoimento de João Batista

Em Betânia, aldeia da Judeia

O DEPOIMENTO DE JOÃO BATISTA – Mateus 3-1-12; Marcos 1:1-8; Lucas 3:1-18

 

Essa era a situação política da época: Tibério César governava o país já há quinze anos, Pôncio Pilatos era governador da Judeia, Herodes era o chefe da região da Galileia, seu irmão, Filipe, era chefe das regiões de Itureia e Traconites e Lisânias era o chefe da região de Abilene. Todos eram romanos. Anás e Caifás eram os líderes espirituais, os bispos.

João Batista, filho de Zacarias, vivia no deserto na ocasião em que começou a sentir que era a hora de agir de acordo com a vontade de Deus. João foi anunciado por meio do vidente Isaías, que previu estas palavras de Deus:

– Vou enviar antes o meu mensageiro; ele vai anteceder e preparar caminho por onde o Deus-humano passará.

João se comportava bem diferente das demais pessoas: usava roupas feitas de pelos de camelo e um cinto de couro na cintura e se alimentava de gafanhotos e mel silvestre. Ele percorria toda a região do rio Jordão, pregando no deserto da Judeia o batismo através de uma imersão no rio que seria capaz de livrar as pessoas de seus maus comportamentos. João alertava a todos que o Reino dos céus estava chegando ao planeta Terra.

– Aplainem o caminho, alarguem a estrada para o Deus-humano passar. Todo vale será aterrado e todas as montanhas e colinas serão niveladas. As estradas curvas vão ser endireitadas e os caminhos com buracos serão aplainados. Então toda a humanidade vai ter a oportunidade de receber o resgatador mandado por Deus.

Muita gente era batizada por João Batista no rio Jordão como uma demonstração de que queria viver de um jeito melhor dali para frente.

Quando João viu que muitos religiosos estavam vindo assistir seus batismos, se enfureceu contra  eles:

– Vocês são umas jararacas! Quem foi que ensinou vocês a fugir da cobrança divina que se aproxima? Antes de serem batizados, vocês precisam provar que querem mudar de vida praticando o bem. Outra coisa: não pensem que estão livres porque são filhos de Abraão, como vivem se gabando. Grande coisa! Garanto a vocês que até estas pedras Deus pode transformar em filhos de Abraão. O machado está suspenso sobre vocês, pronto para cortar a raiz das árvores: quem não der bom fruto será cortado e jogado ao fogo. O que não dá bom resultado não presta para nada.

Ouvindo-o, a multidão perguntou a ele o que é que deveria fazer para se salvar, ao que João respondeu:

– Façam assim: provem que têm disposição. Quem tiver duas mudas de roupa, divida-as com quem não tem nenhuma; quem tiver comida sobrando, divida-a com que precisa.

Até os cobradores de impostos – conhecidos por sua desonestidade – foram até João para serem batizados e perguntaram como deveriam proceder dali adiante.

– Praticando a honestidade – respondeu João. – Não cobrem mais impostos do que o governo romano exige de vocês.

Seguindo os cobradores de impostos, perguntaram alguns soldados presentes:

– E o que você pensa da gente?

João respondeu:

– Não arranquem dinheiro de pessoas frágeis com ameaças ou violência, não acusem ninguém daquilo que vocês sabem que ele não fez e contentem-se com o salário que ganham!

Todos estavam impacientes  esperando que o messias chegasse em breve e para saber se João era Ele ou não. Essa era a questão do momento, discutida em toda parte. Mas João rebateu:

– Eu batizo vocês com água para que mudem o jeito de viver. Mas tem alguém mais importante e poderoso que vem depois de mim, de quem eu não sou digno de me curvar para desatar as correias das suas sandálias. Ele é que pode batizar vocês com o Espírito Santo e com ânimo! Ele traz o rastelo em sua mão para limpar o que se espalha no campo. Ele junta o trigo no celeiro e queima a palha com um fogo que nunca se apaga. Ele é quem pode fazer a varredura da vida de vocês e aproveitar apenas o que for bom.

Assim e de muitas outras formas João instruía o povo e propagava a mensagem.

Como crescia a fama de João Batismo, os judeus de Jerusalém enviaram bispos e seus auxiliares para saberem quem ele era e se ele tinha a pretensão de ser o Messias, ao que João declarou sem rodeios:

 

– Eu não sou o Cristo.

– Então, quem é você? Serias Elias?

– Não, não sou Elias.

– Seria vidente?

– Não, não sou vidente.

Não conformados, os bispos insistiram:

– Afinal, quem então é você? Dê-nos uma resposta para que possamos responder àqueles que nos enviaram. O você diz sobre si mesmo?

João, então, respondeu usando as palavras do vidente Isaías:

– Eu sou a voz que clama no deserto: “Aplainem o caminho para a chegada do Deus-humano”.

Alguns religiosos insistiam:

– Com que direito, então, você batiza, se não é o Cristo, nem Elias, nem o Vidente?

– Eu apenas batizo apenas com água para mudarem de comportamento, mas existe alguém que está no meio de vocês, muito superior a mim, que vocês ainda não conhecem.

Tudo isso acontecia em Betânia, nas margens do rio Jordão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *