Sem categoria

Episódio 22

Episódio 22

A cura de um doente

A CURA DE UM DOENTE NO POÇO DE BETESDA – João 5:1-47

 

Depois disso, Jesus foi até a cidade de Jerusalém para uma festa religiosa judaica.

Existe em Jerusalém, perto do Portão das Ovelhas, um tanque que, em aramaico, é chamado de Betesda. Esse tanque tem cinco terraços em sua volta. Ali costumava ficar uma multidão de doentes e inválidos: cegos, mancos e paralíticos. Todos esperavam a água se movimentar por um anjo de Deus para que a primeira pessoa a descer no tanque ficasse curada.

Um dos que estavam ali era paralítico há trinta e oito anos. Quando viu ele deitado e soube que ele vivia ali naquele estado durante tanto tempo, Jesus lhe perguntou:

– Você quer ser curado?

O homem reclamou:

– Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro entra antes de mim.

– Levante-se! Pegue a sua maca, ande e vá para sua casa – Jesus ordenou a ele.

Imediatamente o homem ficou curado, pegou a maca e começou a andar. Isso aconteceu no dia de sábado e, por isso, os judeus esbravejaram com o homem que havia sido curado:

– Hoje é sábado e você não pode carregar a maca no sábado.

Mas ele retrucou:

– O homem que me curou me mandou pegar a maca e andar.

– Que homem? – perguntaram a ele, cismados.

O homem curado não tinha ideia de quem era ele, pois havia uma multidão naquele lugar.

Mais tarde, Jesus o reencontrou no templo e recomendou:

– Olhe, você está curado. Não volte a cometer deslizes para que algo pior não aconteça a você.

O homem foi embora e contou aos judeus que foi Jesus quem o curou.

 

Sem categoria

Episódio 23

Episódio 23

Continua a incomodação

CONTINUA A INCOMODAÇÃO

Daí para frente os judeus passaram a perseguir Jesus com mais empenho, pois ele estava fazendo essas coisas no sábado, contrariando a Lei dos Judeus. Mas Jesus insistia:

– Meu Pai trabalha todos os dias e eu sigo o exemplo Dele.

Por essa razão, os judeus queriam ainda mais tirar a vida dele, pois Jesus não estava apenas quebrando o regulamento de não poder trabalhar no sábado, mas também afirmando que Deus era seu próprio Pai, igualando-se a Deus.

Jesus respondeu assim aos questionamentos deles:

– Na verdade, o Filho não pode fazer nada por ele mesmo; só pode fazer o que vê o Pai fazer: o que o Pai faz o Filho também faz. Isso acontece assim porque o Pai ama ao Filho e ensina a ele tudo o que faz. Sim, para admiração de vocês, ele mostrará realizações ainda maiores do que estas. Da mesma forma que o Pai dá vida aos mortos, o Filho também dá vida a quem ele quiser dar. Além disso, o Pai não julga ninguém, mas delegou toda crítica ao Filho, para que todos o respeitem como respeitam ao Pai. Quem não honra o Filho, também não honra o Pai que o enviou para o planeta Terra. Eu asseguro a vocês: quem me ouve e acredita em quem me enviou para o planeta Terra terá a vida eterna e não será reprovado. Venceu a morte dando um salto para a vida perpétua! Eu afirmo a vocês que está chegando a hora, e, de fato, ela já chegou, a hora em que as pessoas em depressão vão ouvir a voz do Filho de Deus e voltarão a viver plenamente.

E continuou:

Da mesma forma como o Pai tem vida em si mesmo, ele fez com que o Filho tivesse vida em si mesmo e deu a ele autoridade para criticar, porque é o Deus-humano. Não fiquem admirados com isto, vai chegar a hora em que todos os que estiverem mortos ouvirão a sua voz e voltarão a viver e os que fizeram o bem também. Os que fizeram o mal serão acordados e conscientizados para serem reprovados. Pelas minhas próprias forças não posso fazer nada; eu critico apenas o que vejo e ouço. Portanto, a minha crítica é justa, pois não procuro agradar a mim mesmo, mas ao que me enviou para o planeta Terra. Se eu falasse sobre mim mesmo, o meu depoimento não seria válido. Existe outro que fala em meu favor, e, por isso, sei que o seu depoimento sobre mim é válido. Vocês enviaram representantes a João, e ele deu o depoimento da verdade. Não que eu aceite depoimento humano, mas menciono isso para que vocês sejam restaurados. João era uma lamparina que irradiava luz e, durante certo tempo, vocês se contentaram com a sua luz. Eu tenho um depoimento maior que o de João; os atos miraculosos que estou realizando é uma demonstração de que o Pai Celestial é que me enviou para o planeta Terra e Ele mesmo é a minha testemunha. Vocês nunca ouviram a sua voz, nem viram a sua forma, nem as suas realizações dentro de vocês, pois não acreditam naquele que ele enviou para o planeta Terra. Vocês estudam minuciosamente a Lei dos Judeus, porque acreditam achar nela a expressão da vida eterna. Mesmo que a Lei dos Judeus fale sobejamente sobre mim, vocês não me aceitam para terem vida plena. Não me importa a aprovação de vocês, pois eu conheço bem seus pensamentos. Sei que vocês não têm o amor de Deus. Eu vim aprovado pelo meu Pai e vocês não me aceitaram; mas, se outro vier por conta própria, vocês aceitam de bom grado. Como vocês vão conseguir acreditar se aceitam honrarias uns dos outros, mas não procuram a honraria que vem do Deus único? Mas não pensem que eu vou acusar vocês para o Pai. Quem acusa vocês é Moisés, em quem vocês põem as suas esperanças. Se vocês acreditassem em Moisés, acreditariam também em mim, pois ele escreveu sobre mim. Mas se vocês não acreditam no que ele escreveu, como vão acreditar no que eu digo pra vocês?

Sem categoria

Episódio 24

Episódio 24

Alguns aprendizes seguem Jesus

SIMÃO, ANDRÉ, TIAGO E JOÃO SEGUEM JESUS – Mateus 4-18-22; Marcos 1:16-20; Lucas 5:1-11

 

Alguns aprendizes seguem Jesus

SIMÃO, ANDRÉ, TIAGO E JOÃO SEGUEM JESUS – Mateus 4-18-22; Marcos 1:16-20; Lucas 5:1-11

Certo dia, Jesus estava perto do Lago de Genesaré. Uma multidão o apertava de todos os lados para ouvir as coisas que ele falava de Deus. Então ele viu à beira do lago dois barcos ancorados ali pelos pescadores enquanto eles lavavam as suas redes. Jesus entrou num dos barcos, o que pertencia a Simão, e pediu que ele afastasse o barco um pouco da praia. Sentou-se na proa do barco e conversou com os pescadores. Ao acabar de falar, orientou a Simão:

 

– Vá para onde as águas são mais fundas e jogue as redes para a pesca.

Simão questionou:

– Mestre, demos o duro a noite inteira e não pegamos nada. Mas, se você está mandando, vamos jogar novamente as redes.

Ao recolherem as redes eles se depararam com tanto peixe que as redes começaram a se rasgar. Então eles fizeram sinal a seus companheiros no outro barco para que viessem ajudá-los; eles vieram e encheram ambos os barcos a ponto de quase começarem a afundar.

Quando Simão Pedro viu esse acontecimento fantástico, debruçou-se aos pés de Jesus e disse:

– Afaste-se de mim, Senhor, porque sou uma pessoa que vive fazendo coisas erradas!

Ele e todos os seus companheiros estavam boquiabertos com a grande pescaria, como também Tiago e João, os filhos de Zebedeu, parceiros de Simão. Então Jesus confortou a Simão:

– Não fique espantado; de agora em diante você será pescador de almas humanas.

Os pescadores arrastaram seus barcos para a praia e decidiram deixar todas as suas atividades para seguir Jesus, entre eles estavam os irmãos Tiago e João, filhos de Zebedeu.

Sem categoria

Episódio 25

Episódio 25

A expulsão do demônio

O EPISÓDIO DO HOMEM POSSUÍDO POR DEMÔNIO EM CAFARNAUM – Marcos 1:21-28; Lucas 4:31-37

 

Depois desse evento dos peixes, Jesus foi até Cafarnaum, cidade da Galileia.

Era novamente sábado quando ele chegou e começou a ensinar o povo. Todos ficavam encantados com seus ensinamentos porque ele falava como quem realmente vivia e tinha domínio daquilo, não como os mestres religiosos que apenas faziam citações da Lei.

Justamente naquela hora, na capela, surge um homem com um comportamento estranho e doentio, gritando com toda força:

– O que você quer da gente, Jesus de Nazaré? Veio para nos destruir? Sei quem você é: o Santo Filho de Deus!

Jesus irritou-se com ele:

– Cale-se e saia dele!

Com um forte grito, o diabo jogou o homem no chão na frente de todo mundo e saiu dele sem feri-lo.

Todos ficaram admirados e questionavam uns aos outros que novo ensino era aquele, que exibia autoridade e poder até contra os espíritos maus e impuros E assim sua fama se espalhava ainda mais rapidamente por toda a região.

Sem categoria

Episódio 26

Episódio 26

A cura da sogra de Pedro e de outras pessoas

A CURA DA SOGRA DE SIMÃO – Mateus 8-14,15; Marcos 1:29-31; Lucas 4:38,39

A CURA DA SOGRA DE SIMÃO – Mateus 8-14,15; Marcos 1:29-31; Lucas 4:38,39

Logo que saiu da capela, Jesus foi com Tiago e João à casa de Pedro e André. Ao entrar na casa, encontraram a sogra de Pedro de cama, com febre. Pediram a Jesus que fizesse alguma coisa por ela. Ele chegou perto dela, reclinou-se sobre ela, segurou a sua mão e ajudou ela a se levantar. Imediatamente a febre sumiu e ela começou a fazer comida para eles.

MAIS CURAS… Mateus 8-16,17; Marcos 1:32-34; Lucas 4:40,41

 

Ao pôr-do-sol daquela tarde, todos da cidade se juntaram à porta de Jesus com pessoas com vários tipos de doenças e distúrbios. Ele repousava as mãos sobre as suas cabeças e curava a todas. De algumas delas saíam espíritos maus gritando que ele era o Filho de Deus.

Assim se realizou o que foi previsto pelo vidente Isaías:

– Ele carregará sobre suas costas as nossas doenças e distúrbios.

 

Episódio 27

Viagem de Jesus

JESUS DEIXA CAFARNAUM E VIAJA PELA GALILEIA COM QUATRO APRENDIZES – Mateus 4:42-44; Marcos 1:35-39; Lucas 4:42-44

 

De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar no deserto onde costumava orar.

Ele estava lá enquanto uma multidão se pôs a procurá-lo. Não o encontrando, Simão e seus companheiros foram à sua busca e, ao o encontrarem, reclamaram:

– Todos estão ansiosos à sua busca!

– Vamos para outro lugar, para os povoados vizinhos, para que também lá eu anuncie a mensagem do Reino de Deus. Foi para isso que eu fui enviado – disse Jesus.

Mas todos insistiram para que Jesus ficasse ali com eles. Mas Jesus percorria toda a Judeia, ensinando nas capelas, anunciando a mensagem do Reino e curando os doentes.

Sem categoria

Episódio 28

Episódio 28

A cura de um doente

CURA DE UM HOMEM PARALÍTICO – Mateus 9:1-8; Marcos 2:1-12; Lucas 5:17-26

 

Poucos dias depois, Jesus pega um barco, atravessa o lago e vai para a cidade onde morava, Cafarnaum.

Quando ficaram sabendo que ele estava em casa, muitas pessoas se reuniram ali, abarrotando sua casa e quintal enquanto ele anunciava a mensagem de Deus.

Entre os presentes, estavam também líderes religiosos e mestres da Lei dos Judeus, que vieram de todos os povoados da Galileia, da Judeia e de Jerusalém. Ele tinha  a energia de Deus para curar os doentes.

Quatro pessoas trouxeram um paralítico carregado numa maca e tentaram entrar com ele na casa para o colocarem diante de Jesus. Mas a casa estava lotada e não tinha jeito de entrar. Então eles subiram ao telhado e baixaram o homem em sua maca, por meio de uma abertura, até o meio da multidão, bem em frente de Jesus.

Vendo a fé que eles tinham, Jesus declarou ao paralítico:

– Anime-se, filho; os deslizes que você cometeu estão perdoados.

Alguns mestres da Lei dos Judeus e religiosos que estavam ali acreditavam em seu íntimo que Jesus era petulante e que ele estaria distorcendo as coisas, já que ousava afirmar que podia perdoar deslizes. Apenas Deus é quem pode perdoar. Sabendo Jesus o que se passava na cabeça deles, questionou:

– Por que vocês pensam maliciosamente em seu íntimo? O que seria mais complicado: perdoar os seus deslizes ou curar a doença do rapaz? Mas para que vocês saibam que o Deus-humano tem na terra autoridade para perdoar deslizes, ordeno ao paralítico: levante-se, pegue a sua maca e vá para sua casa.

Instantaneamente ele se levantou, pegou a maca e saiu, agradecendo a Deus. Todos os presentes ficaram atônitos e elogiavam a Deus que tinha dado tal autoridade aos homens, dizendo nunca terem visto nada igual.

Sem categoria

Episódio 29

Episódio 29

Jesus na casa de Levi

COMEMORANDO NA CASA DE LEVI – Mateus 9:9-13; Marcos 2:13,14; Lucas 5:27,32

 

Jesus saiu para beira-mar seguido por uma multidão que ele ensinava. Nessa hora, viu ali um cobrador de impostos chamado Levi, filho de Alfeu, sentado na coletoria. Levi tinha a fama de ser desonesto. Jesus o convidou:

– Siga-me na condição de aprendiz.

Levi não titubeou: levantou-se, deixou tudo e começou a seguir Jesus.

COMENDO COM OS MAUS-ELEMENTOS – Mateus 9:10-13; Marcos 2:15-17; Lucas 5:29-32

 

Levi ficou tão feliz pelo convite que ofereceu uma grande festa a Jesus em sua casa, que ficou lotada. Mas os religiosos e os mestres da Lei dos Judeus, que pertenciam à mesma facção, queixavam-se aos aprendizes de Jesus:

– Por que vocês e seu mestre comem e bebem com pessoas de má reputação e que vivem fazendo coisas erradas?

Jesus respondeu a eles, incisivamente:

– Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Vão e aprendam o que significa isto: “Quero a generosidade e não o sacrifício”. Eu não vim para os que se consideram pessoas íntegras, mas para os que são considerados maus elmentos e não são aceitos pela sociedade, para que essas pessoas tenham a oportunidade de mudar de vida.

Sem categoria

Episódio 30

Episódio 30

A ilustração do vinho novo em tonéis velhos

VINHO NOVO EM TONÉIS VELHOS – Mateus 9:14-17; Marcos 2:18-22; Lucas 5:33-39

 

Outra coisa com a qual eles implicavam: os aprendizes de João e os religiosos ficavam sem comer (jejuar) como os religiosos . Intrigadas, algumas pessoas vieram a Jesus e perguntaram a ele:

– Por que os aprendizes de João e os dos religiosos ficam sem comer e oram com frequência, mas os seus aprendizes comem e bebem à vontade.

Jesus ponderou:

– Como é possível os convidados do noivo ficarem sem comer enquanto o noivo está se divertindo com eles? Mas chegará o dia da partida do noivo; aí, então, eles ficarão sem comer sem a presença alegre do noivo. Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo de pano novo acaba forçando a roupa e provocando um rasgo ainda maior. Além disso, o remendo de pano novo não fica bem na roupa velha. Também não se põe vinho novo em tonéis velhos; se fizer isso, os tonéis vão se arrebentar e o vinho vai derramar. Pelo contrário, vinho novo deve ser posto em tonéis novos para ambos se conservarem. Ademais, ninguém que bebe o vinho velho prefere o novo, pois, como diz o ditado, “o vinho, quanto mais velho, melhor!

Sem categoria

Episódio 31

Episódio 31

O sábado é um dia igual aos outros

O SÁBADO É UM DIA IGUAL AOS OUTROS – Mateus 12:1-9; Marcos 2:23-28; Lucas 6:1-5

 

Certo sábado, Jesus estava atravessando os campos de trigo. Enquanto caminhavam, seus aprendizes estavam com fome e começaram a colher e debulhar espigas com as mãos, comendo os grãos. Os religiosos, vendo aquilo, criticaram:

– Olha, os seus aprendizes estão fazendo o que não é permitido no sábado.

Jesus retrucou:

– Vocês não leram o que fez Davi quando ele e seus companheiros estavam com fome? Então vou contar para vocês: na época de Abiatar, o grande Bispo, Davi entrou na casa de Deus e comeu os pães da presença, ritual em que apenas os Bispos podiam comer, e ofereceu também aos seus companheiros. Ou vocês não leram na Lei dos Judeus que, no sábado, os Bispos no templo tratam esse dia sem nenhuma culpa?

E continuou a argumentar:

– O sábado foi feito por causa do homem, não o homem por causa do sábado. Eu afirmo a vocês que aqui está o que é maior do que o tempo. Portanto, o Deus-humano é Senhor igualmente do sábado.

Episódio 32

Deve-se fazer o bem no sábado

FAZENDO O BEM NO SÁBADO – Mateus 12:9-14; Marcos 3-1-6; Lucas 6:6-11

 

Noutro sábado, ele entrou na capela e começou a ensinar. Estava ali um homem com a mão direita atrofiada. Os religiosos e os mestres da Lei dos Judeus viviam procurando um motivo para acusar Jesus, por isso observavam seus movimentos atentamente, para ver se ele cometeria algum deslize. Perguntaram, então, a ele:

– É permitido fazer o bem no sábado?

Jesus respondeu a eles:

– Qual de vocês, se tiver uma ovelha e ela cair num buraco no sábado, não vai tirar ela de lá? Quanto mais valioso é um homem do que uma ovelha! Ou seja, é permitido fazer o bem no sábado.

Com ousadia, Jesus ordenou ao homem da mão atrofiada:

– Levante-se e venha para o meio para que todos vejam você.

Jesus continuou a provocá-los:

– O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou permitir a morte?

Mas eles ficaram em silêncio. Olhou para os que estavam à sua volta e eles estavam profundamente constrangidos. Então ele disse ao homem:

– Estenda a sua mão.

Ele estendeu a mão e o homem ficou completamente sarado.

Furiosos, os religiosos saíram e começaram a tramar com os homens de Herodes contra Jesus, pensando em um plano de como poderiam acabar com a vida dele.

Sem categoria

Episódio 33

Episódio 33

O anonimato de Jesus

 

O ANOMIMATO COMO ESTRATÉGIA – Mateus 12:15-21; Mc 3:7-12

Sabendo dessa trama, Jesus se retirou daquele lugar e muita gente o seguiu. Ele curava a todos os doentes no meio deles, advertindo a eles que não dissessem quem ele era. Isso aconteceu para se realizar o que havia sido dito pelo vidente Isaías:

– Aqui está o meu preposto, a quem escolhi, o meu amado, em quem tenho prazer. Vou colocar o meu Espírito sobre ele e ele anunciará a minha reprovação às nações. Ele não vai discutir nem argumentar; ninguém ouvirá seu alarde nas ruas. Ele não judiará do fraco, nem apagará a sua esperança. Com sua vitória final, ele acabará com todas as lutas em vão. Não salgará carne podre e nem estragará festas. Não desperdiçará seu tempo e por sua causa o mundo inteiro vai despertar a sua esperança.

SUA FAMA SE ESPALHA – Mateus 4:24,25; Marcos 3:7-12

Jesus retirou-se com os seus aprendizes para o mar. Notícias sobre ele se espalharam por toda a Síria. O povo trazia a ele os que sofriam de doenças e distúrbios: portadores de maus espíritos, epiléticos e paralíticos. Jesus curava a todos.

Vinham muitas pessoas de Jerusalém, Judeia, Idumeia, Galileia, Decápolis e das regiões depois do Jordão e dos arredores de Tiro e Sidom.

Para evitar que a multidão o esmagasse, Jesus recomendou aos aprendizes que deixassem uma canoa preparada em caso de tumulto, porque ele tinha curado muita gente e os que sofriam de doenças ficavam se empurrando para conseguir tocá-lo.