Sem categoria

Episódio 11

Episódio 11

O Batismo do Deus-Humano

O BATISMO DE JESUS- Mateus 3:13-17, Marcos 1:9-11, Lucas 3:21,22

 

No dia seguinte, quando muita gente estava sendo batizada, Jesus veio de Nazaré da Galileia para ser batizado por João no rio Jordão. Quando João o viu se aproximando, exclamou:

– Vejam! Esse é o Cordeiro de Deus, que extermina os deslizes e vícios do mundo! Esse é exatamente aquele a quem eu me referi para vocês quando disse que vinha depois de mim uma pessoa superior a mim porque já existia antes de mim. Eu mesmo não o conhecia. Por isso eu batizava com água: para que ele pudesse ser revelado a Israel.

Quando Jesus chegou perto para ser batizado, João tentou impedir sua decisão, declarando:

– Eu é que preciso ser batizado por você, e não você por mim!

Ao que Jesus respondeu:

– Me batize, por favor; convém fazer assim para cumprir o que estava previsto de mim.

Então João concordou. Assim que Jesus foi batizado e saiu da água, os céus se abriram e o Espírito de Deus desceu na forma de uma pomba e pousou sobre ele. Nesse momento, uma voz dos céus sussurrou:

– Este é o meu filho amado em quem me agrado.

 

Então, João Batista confirmou:

– Eu não o teria reconhecido se quem me enviou para o mundo para batizar com água não tivesse me dito: “Aquele sobre quem você vir o Espírito descer e pairar, esse é o que batiza com o Espírito Santo”. E eu vi e confirmo que esse é realmente o Deus-humano.

Sem categoria

Episódio 12

Episódio 12

O Deus Humano é provado

JESUS É TENTADO NO DESERTO – Mateus 4-1-11, Marcos 1:12,13; Lucas 4:1-13

 

Logos após ser batizado, Jesus, cheio do Espírito Santo, foi levado por Deus ao deserto. O objetivo era ele ser testado pelo diabo.

No deserto, Jesus ficou quarenta dias sendo tentado e vivia entre bichos selvagens, mas os anjos tomavam conta dele.

Após vários dias sem comer por tanto tempo, teve fome. Nesse momento, para testá-lo, o Diabo chegou perto dele e sugeriu:

– Se você é realmente o Deus-humano, como dizem por aí, então transforme essas pedras em pães e mate a sua fome; é simples.

Ao que Jesus rebateu:

– Está escrito: “Não é só o pão que sustenta o ser humano, também somos sustentados pelas orientações que veem de Deus”.

Usando a imaginação, o Diabo levou Jesus a Jerusalém, a cidade santa, e fez com que ele se sentisse no pico do templo para novamente provoca-lo:

– Se tu és realmente o Deus-humano, pule daqui. Está escrito sobre você: “Deus enviará os anjos Dele para que o segurem, impedindo que você se despedace no chão”.

Jesus rebateu:

– Também está escrito que não se deve impor a Deus uma prova absurda, testando a sua fidelidade.

O Diabo não desistiu e então levou Jesus a um lugar bem alto e mostrou a ele, em perspectiva, todos os governos do mundo, com seus poderes e fascínios, e provocou:

– Eu te darei todo poder e riquezas desses reinos, porque são meus e posso dar a quem eu quiser. Tudo isso será seu se você se debruçar e me adorar.

Com firmeza, Jesus bradou:

– Saia daqui, Diabo! Está escrito também: “Adore somente a Deus e obedeça somente a ele com inteireza de coração”.

Ao terminar todos esses testes de fidelidade de Jesus, o Diabo deixou Jesus e partiu, esperando por outra ocasião oportuna. Em seguida, os anjos vieram e cuidaram para que Jesus terminasse sua quarentena.

Sem categoria

Episódio 13

Episódio 13

Os primeiros aprendizes

OS PRIMEIROS APRENDIZES – João 1:35-51

Episódio 13

Os primeiros aprendizes

OS PRIMEIROS APRENDIZES – João 1:35-51

No dia seguinte, João estava ali nas redondezas junto com dois dos seus aprendizes. Quando viu Jesus passando, exclamou:

– Vejam! É o Cordeiro de Deus!

Bastou ele dizer isso para que os dois aprendizes começassem a seguir Jesus. Quando Jesus percebeu que os dois iam atrás dele, perguntou a eles:

– O que vocês dois querem?

– Mestre, onde você mora? – queriam saber.

– Venham ver vocês mesmos – Jesus respondeu.

E eles foram. Era por volta das quatro da tarde. Viram onde ele estava morando e passaram com ele aquele final de tarde até o anoitecer, despedindo-se depois.

Um deles era André que foi logo atrás de seu irmão, Simão Pedro, quem também ouvira as palavras de João, para dizer a ele, entusiasmado, que haviam achado o messias, o Cristo, e queria leva- lo para apresentar ele a Jesus.

Ao se deparar com Simão, Jesus olhou fixamente para ele e disse:

– Você é Simão, filho de João. Daqui para frente será chamado de Pedro, que significa pedra.

No dia seguinte, Jesus parte para a Galileia. Lá, ao encontrar Filipe, convida-o a segui-lo. Felipe aceita o convite e, como André e Pedro, todos da cidade de Betsaida, tornaram-se os primeiros seguidores  de Jesus.

Animado, Filipe saiu ao encontro de Natanael e contou a ele, entusiasmado:

– Achamos o Messias, aquele sobre quem Moisés e os videntes falaram. Ele é Jesus de Nazaré, filho de José.

Questionou Natanael:

– Nazaré? De lá não sai nada que presta.

Mas Filipe insiste:

– Venha e veja você mesmo.

Ao ver Natanael se aproximando, previu Jesus:

– Vem aí um sujeito direito, um verdadeiro israelita íntegro.

Abismado, perguntou Natanael:

– De onde você me conhece?

Ao que Jesus respondeu:

– Eu vi você à sombra da figueira, antes de Filipe chamá-lo para me conhecer.

Natanael ficou espantado por Jesus saber onde ele estava:

– Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!

E Jesus lhe respondeu

– Você acredita só porque eu adivinhei que você estava debaixo da figueira? Você ainda verá fenômenos muito maiores do que esse! Acreditem: vocês verão o céu se abrir e os anjos de Deus subirem e descerem sobre o Deus-humano.

Sem categoria

Episódio 14

Episódio 14

O milagre do vinho

O CASAMENTO EM CANÁ DA GALILÉIA – João 2:1-12

Dois dias depois desse evento, houve um casamento num lugarejo chamado Caná da Galileia e Jesus, sua mãe e seus aprendizes foram como convidados. No meio da festa, acaba o vinho. A mãe de Jesus foi até ele para relatar o problema:

– E agora? Eles não têm mais vinho.

Jesus enervou-se com ela e questionou:

– O que eu tenho a ver com esse problema, minha mãe? A minha hora de agir ainda não chegou.

Maria nem ligou e disse aos empregados:

– Façam tudo o que ele pedir.

Havia ali seis jarros de pedra do tipo usado pelos judeus nas cerimônias religiosas; cada jarro cabia de oitenta a cento e vinte litros. E então Jesus pediu aos empregados:

– Encham os jarros com água.

E eles obedeceram, enchendo os jarros até a boca.

E Jesus continuou:

– Agora, tirem um pouco e levem ao cerimonial da festa.

Os empregados, então, tiraram a amostra e levaram até o cerimonial, que provou a água transformada em vinho. Sem saber a origem do vinho, pois os empregados não disseram nada a ele, o profissional provou e logo em seguida chamou o noivo para contestar:

– É costume servir primeiro o melhor vinho e, depois que os convidados já estão satisfeitos, servir o vinho de qualidade inferior. Por que você guardou o melhor até agora?

Depois desse acontecimento, Jesus foi à cidade de Cafarnaum com sua mãe, seus irmãos e seus aprendizes e ficaram ali durante alguns dias

.

Este sinal miraculoso, acontecido em Caná da Galileia, foi a primeira demonstração pública de seu poder que Jesus realizou. Começou a revelar-se, assim, como o enviado do céu, o que fez com que seus aprendizes acreditassem que ele era realmente o Deus-humano.

Sem categoria

Episódio 15

Episódio 15

A confusão no templo

O EPISÓDIO DOS CAMBISTAS NO TEMPLO – João 2-13-25; Lc 3:23

 

Ao iniciar seu projeto de vida, Jesus tinha uns trinta anos.

Estava chegando a comemoração anual da Páscoa judaica quando Jesus decidiu ir à cidade de Jerusalém para participar da festa. Quando chegou lá, viu no pátio do templo um monte de comerciantes vendendo bois, ovelhas e pombas, e outros sentados diante de mesas cambiando dinheiro. Jesus ficou muito inconformado com a cena mercantilista, fez um chicote de cordas e enxotou todos para fora do templo, pedindo que levassem os seus animais. Em seguida, espalhou as moedas dos cambistas virando as suas mesas. Aos comerciantes que vendiam pombas bravejou:

– Tirem essas tranqueiras daqui! Parem de fazer da casa de meu Pai um comércio!

Seus aprendizes, então, lembraram-se do que está escrito sobre essa atitude: “O respeito pela Tua casa vai me tirar do sério”.

Inconformados com essa atitude drástica de Jesus, os judeus o questionaram:

– Que sinal miraculoso o senhor pode nos mostrar como prova da sua autoridade para fazer essa desordem?

– Vou mostrar para vocês. Destruam esse templo que eu o reconstruo em três dias.

Os judeus não acreditavam no disparate que acabaram de ouvir:

– Como assim? Esse templo levou quarenta e seis anos para ser construído e o senhor diz que pode construí-lo em apenas três dias?

Mas o templo ao qual Jesus se referia era uma figura de linguagem que se referia a seu próprio corpo. Esse episódio e essas palavras seriam relembradas por seus aprendizes tempos mais tarde.

Depois de expulsar os comerciantes do templo em Jerusalém, ele curou os cegos e os mancos. Os bispos e os mestres da Lei dos Judeus ficaram indignados quando viram as coisas maravilhosas que Jesus fazia. As crianças gritavam no templo: “Viva o Filho de Davi”. Eles instigaram:

– Você não está ouvindo as bobagens que estas crianças estão dizendo?

Respondeu Jesus:

– Sim, vocês nunca leram que é da boca dos recém-nascidos e das que amamentam que sai a verdade?

Os bispos e os mestres da Lei dos Judeus ouviram essas palavras e começaram a procurar uma desculpa para matá-lo, porque tinham medo da influência que ele exercia sobre o povo, que estava fascinado com o seu ensino. Ao cair da tarde, Jesus e seus aprendizes foram novamente para Betânia, onde passaram a noite.

Sem categoria

Episódio 16

Episódio 16

A fama do Deus Humano, a visita de Nicodemus

JESUS COMEÇA A FICAR CONHECIDO. Jo.2:23

Enquanto estava em Jerusalém, na festa da Páscoa, muitos tiveram a oportunidade de ver os sinais miraculosos que Jesus fazia e muitos passaram a acreditar que ele era, de fato, o Deus-humano. Mas Jesus não se importava com o que eles pensavam dele, pois conhecia o íntimo de todos. Ele não precisava que ninguém aprovasse sua divindade, pois ele conhecia o interior inconstante das pessoas.

EPISÓDIO DE NICODEMUS COM JESUS – João 3-1-21

Nicodemos era um religioso famoso entre os judeus. Movido pela curiosidade despertada pela fama de Jesus, ele foi até ele à noite, buscando não ser reconhecido. Chegando onde Jesus estava, começou a lisonjeá-lo:

– Mestre, todo mundo sabe que os seus ensinos vêm de Deus, pois ninguém conseguiria realizar os fenômenos que você tem realizado se não fosse a intervenção de Deus.

Jesus despistou e declarou:

– Acredite: ninguém pode ver o Reino de Deus se não reviver de novo.

– Como alguém pode reviver de novo se já é velho? É claro que não pode entrar de novo na barriga de sua mãe para renascer! – exclamou Nicodemus, intrigado.

Ao que Jesus respondeu:

– Acredite, Nicodemus: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da força misteriosa da água e do Espírito. É a lei da natureza: o que nasce da vida natural é um ser humano natural, mas o que nasce da força do Espírito é espiritual. Portanto, não se surpreenda pelo fato de eu te disser que é necessário reviver de novo. O vento sopra. Você ouve o seu barulho, mas não consegue ver o seu movimento. O mesmo acontece com todos os que são nascidos pela força do Espírito. Nós vemos o resultado em mudanças de vida, mas não sabemos explicar a origem.

Nicodemos não conseguia entender nada:

– Como assim?

Então Jesus o provocou:

– Você é um líder religioso em Israel, possuidor de tanto conhecimento, mas ainda não conseguiu entender essa coisa simples? Garanto a você que falo do que conheço bem, do que já experimentei, mas mesmo assim você se recusa a aceitar o meu depoimento. Eu falei de coisas simples e terrenas e mesmo assim você não quer entender. Como, então, entenderá se eu falar das coisas celestiais mais complexas? Ninguém nunca viveu no céu e veio ao planeta Terra a não ser o Deus-humano. Da mesma forma como Moisés levantou uma cobra na estaca no deserto, é necessário que o Deus-humano seja igualmente levantado numa estaca. É uma metáfora para que todo mundo que acreditar Nele comece a desfrutar a vida eterna. Porque Deus tanto amou o mundo que deu a ele o seu Filho Único com um objetivo: todo mundo que acreditar nele não morrerá, mas viverá a vida plena e eterna. Deus mandou o seu Filho para o planeta Terra não para reprovar o mundo, mas para que o mundo fosse resgatado por meio dele. Quem acreditar nele não será reprovado, mas quem não acreditar já está reprovado por si mesmo por não acreditar na força resgatadora do Filho Único de Deus. A sentença tem uma base simples: a luz do céu veio ao mundo, mas os homens preferiram a escuridão à claridade. Quem comete deslizes não se aproxima da luz com receio de que seus deslizes apareçam. Mas quem faz a coisa certa vem para a claridade para que todos vejam que as suas obras são aprovadas por Deus.

Episódio 17

O último depoimento de João Batista, João Batista é preso

O ÚLTIMO DEPOIMENTO DE JOÃO BATISTA – João 3-22-36

 

Depois desse acontecimento, Jesus foi com seus aprendizes para a terra da Judeia. Passou lá algum tempo convivendo com eles e batizando as pessoas no rio. Coincidentemente, João também estava batizando em Enom, perto de Salim. Tinha ali água em abundância e o povo vinha de toda parte para ser batizado.

Surgiu, então, uma discussão entre alguns aprendizes de João e um certo judeu sobre o batismo. Os aprendizes questionaram João:

– Mestre, aquele sujeito que estava com você no outro lado do Jordão, do qual você falou tão bem, está batizando, e todo mundo está debandando para ele.

– Deus dá a cada pessoa a sua atribuição – João contestou. – Vocês mesmos são testemunhas de que eu afirmei que não sou o Cristo, fui apenas enviado à frente dele para abrir-lhe as portas. A noiva pertence ao noivo. O amigo que ajuda ao noivo atende as suas orientações e se alegra em ser útil a ele. O bem-estar do noivo é a alegria do amigo, que agora se completa. Faz-se necessário que ele ganhe mais importância e que a minha diminua. Aquele que vem do céu está acima de todos; quem é da Terra está limitado a ela e fala com as limitações da terra. Ele fala do que tem visto e ouvido no céu e quem aceita o que ele relata confirma que Deus é real e que Ele enviou para o planeta Terra aquele que narra Suas palavras e que é portador do Espírito sem limitações. O Pai ama o Filho e a ele confiou todo o mundo. Quem acredita no Deus-humano como resgatador da humanidade terá a vida eterna; quem rejeita o Deus-humano não terá vida plena, mas sim a indisposição de Deus sobre ele.

JOÃO BATISTA É PRESO E JESUS VOLTA PARA A GALILÉIA. Lucas 3-19,20; – Mateus 4-12-17; Lucas 4:14,15

 

Por ter falado mal de Herodes, o tetrarca, delatando, entre outras coisas, que ele estava tendo um caso com Herodias, esposa de seu próprio irmão, João Batista foi preso, a mando de Herodes. Quando Jesus ouviu sobre a prisão, voltou para a Galileia cheio do poder do Espírito Santo anunciando a mensagem de Deus.

Sem categoria

Episódio 18

Episódio 18

Em Nazaré

JESUS NA CAPELA EM NAZARÉ – Lucas 4:16-30

 

Jesus decide ir a Nazaré, cidade em que foi criado. No sábado foi à capela, como era seu costume. Lá ele recebeu das mãos dos fiéis o livro do vidente Isaías, o qual ele abriu ao acaso e leu o que estava escrito:

– O Espírito de Deus está em mim porque Ele me deu o dom especial para anunciar a mensagem aos pobres. Ele me enviou para o planeta Terra para falar sobre liberdade aos presos, recuperar a vista dos cegos, libertar os deprimidos e anunciar que Deus está sempre de boa vontade.

Ao terminar a leitura da Lei dos Judeus, Jesus enrolou o pergaminho, o devolveu ao assistente e se sentou. Todos que estavam na capela olharam abismado para ele. Em seguida, ele comentou:

– Hoje se cumpriu esse trecho que está escrito na Lei dos Judeus que vocês acabaram de ouvir.

Todos os presentes admiravam suas palavras.

– Não é este o filho de José? Não dá nem para acreditar – questionavam eles.

E Jesus os provocou:

– É claro que vocês irão me jogar na cara coisas como: “se pode curar, cure a você mesmo, faça aqui na sua terra o que ouvimos que fez em Cafarnaum. Acreditem: Nenhum vidente é aceito na sua própria terra. Vocês sabiam que havia muitas viúvas em Israel no tempo de Elias, quando parou de chover por três anos e meio, ocasionando uma grande fome em toda a Terra?  Mesmo assim, Elias não socorreu nenhuma delas, a não ser a uma viúva de Sarepta, na região de Sidom. Também havia muitos doentes de lepra em Israel no tempo de Eliseu, o vidente, mas nenhum deles foi sarado, a não ser Naamã, o sírio.

Ao ouvir esse relato de Jesus, todo o povo da capela ficou indignado. Fizeram um alvoroço e o levaram até o topo da colina onde a cidade estava construída com o objetivo de atirá-lo precipício abaixo, mas Jesus se esquivou e saiu de Nazaré em direção a Cafarnaum, na região litorânea de Zebulom e Naftali, para que se cumprisse o que estava previsto pelo vidente Isaías:

– Terra de Zebulom e terra de Naftali, em direção ao mar, depois do Jordão, Galileia das nações; o povo que vivia na escuridão viu uma luz irradiante; sobre as pessoas que viviam na terra das desgraças raiou a luz da esperança.

– Chegou a hora – anunciava Jesus pelos caminhos que percorria. – O Reino de Deus está chegando agora. Repensem sobre os deslizes que cometem e observem a mensagem! Mudem, porque o Reino dos céus está chegando.

Por toda aquela região sua fama se espalhou. Ele ensinava nas capelas e todos elogiavam seus atos e ensinos.

Sem categoria

Episódio 19

Episódio 19

Encontro com a Samaritana

O ENCONTRO DA MULHER SAMARITANA COM JESUS NO POÇO – João 4-1-42

 

Os religiosos ouviram falar o que Jesus estava realizando e que batizava mais seguidores que João, ainda que ele mesmo não batizasse, mas, sim, os seus aprendizes. A partir disso, eles tentaram criar uma rivalidade entre eles. Quando Jesus ficou sabendo dessa intriga, saiu da Judeia e voltou de novo para a Galileia.

Para chegar na Galileia, ele precisava passar por Samaria e por Sicar, perto das terras que Jacó havia dado a seu filho José. Cansado da viagem sob o sol escaldante, Jesus sentou-se à beira de um poço, chamado poço de Jacó. Era por volta de meio-dia. Enquanto Jesus descansava, chegou uma mulher samaritana para tirar água e ele pediu a ela:

– Me dá um pouco de água?

Jesus estava sozinho, pois os seus aprendizes tinham ido à cidade comprar alimento. Contrariada, a mulher samaritana perguntou a Jesus:

– Como o senhor, sendo judeu, pede água para mim, uma samaritana?

Judeus e samaritanos não se davam muito bem, como pode ser notado. E então, Jesus a provocou:

– Se você conhecesse a graça e a bondade infinita de Deus e quem está te pedindo água, você faria o contrário: pediria água para mim e eu daria água viva a você.

Retrucou a mulher:

– Mas o senhor não tem nem balde para tirar a água e o poço é fundo. Como poderia conseguir essa água viva? Por acaso o senhor é mais importante do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, do qual ele mesmo, seus filhos e seu gado beberam?

Jesus insistiu:

– Quem beber desta água vai continuar tendo sede, mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede, pelo contrário, virará uma fonte de água jorrando para a vida eterna.

A mulher então cedeu:

– Senhor, me dá dessa água para que eu não tenha mais sede nem precise voltar aqui para tirar água.

Mas ele continuou a testá-la:

– Vai embora, chame o seu marido e volte.

– Não tenho marido – respondeu ela.

E continuou Jesus:

– Na realidade, você já teve cinco maridos e o homem com quem agora vive não é seu marido. O que você acabou de dizer é a pura verdade.

A mulher ficou espantada com o que Jesus sabia dela:

– Senhor, vejo que você é um vidente. Nossos antepassados adoravam a Deus neste monte, mas vocês, judeus, dizem que Jerusalém é o lugar certo onde se deve adorar.

Ao que Jesus declarou, taxativamente:

– Acredite em mim, mulher: está chegando a hora em que vocês não vão mais adorar o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém. Vocês, samaritanos, adoram o Deus que não conhecem. Nós adoramos o Deus que conhecemos, pois o resgate de nossas almas vem dos judeus. Mas não importa, já chegou a hora em que os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai Deus com a alma. É fundamental que Ele seja adorado de coração,  com genuinidade. Este é o perfil dos adoradores que o Pai procura.

A mulher continua sem entender direito:

– Eu sei que o o Cristo está para vir. Quando ele vier, vai nos explicar tudo isso.

E então, pela primeira vez, Jesus declarou explicitamente:

– Eu sou o Messias! Eu mesmo, o que está falando contigo.

Foi nesse instante que os seus aprendizes voltaram e ficaram surpresos ao encontrá-lo conversando com uma mulher, mas ninguém ousou perguntar o que ele queria ou porque estava conversando com ela.

Deixando o seu jarro no poço, a mulher voltou à cidade e espalhou a notícia ao povo:

– Venham ver um homem que me disse tudo sobre minha vida. Será que ele não pode ser o Cristo?

 

Sem categoria

Episódio 20

Episódio 20

Uns semeiam, outros colhem

UM SEMEIA, O OUTRO COLHE

Ao ouvirem a mulher, uma multidão saiu da aldeia e foi ao encontro de Jesus, que ainda não havia comido nada. Seus aprendizes insistiam com ele:

– Mestre, coma alguma coisa.

– Tenho algo para comer que vocês não sabem – respondeu-lhes Jesus.

Seus aprendizes disseram uns aos outros:

– Será que alguém trouxe alguma comida para ele?

Ao que Jesus rebateu:

– A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou para o planeta Terra e concluir a sua empreitada. Vocês vivem comentando que daqui a quatro meses será a colheita. Eu digo o contrário para vocês: sejam sensíveis, abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros de almas humanas prontas para serem colhidas. Quem colhe recebe boa remuneração dos celeiros eternos. Assim, se alegram juntos : o que semeia e o que colhe. Verdadeiro é o ditado: ”um semeia e o outro colhe”. Eu enviei vocês para colherem o que não cultivaram. Outros realizaram o trabalho pesado e vocês usufruem do trabalho deles. Muitos samaritanos daquela aldeia acreditaram nele por causa do depoimento dado pela mulher. Quando os samaritanos se aproximaram dele, insistiram para que Jesus não fosse embora. Ele concordou e ficou ali por mais dois dias ensinando e convivendo com os samaritanos. Por causa da sua mensagem nítida, muitos ali passaram a acreditar que ele era o Cristo e disseram à mulher que agora acreditavam não somente por causa do que ela havia relatado, mas por causa do que eles mesmos haviam ouvido, e, ainda, que agora tinham a convicção de que Jesus era realmente o resgatador do mundo.

Sem categoria

Episódio 21

Episódio 21

Acura do filho do Nobre

A CURA DO FILHO DO NOBRE – João 4:43-54

 

Depois de ter ficado aqueles dois dias com os Samaritanos, Jesus partiu para a Galileia, onde tinha transformado a água em vinho. Quando chegou lá, os galileus o receberam muito bem e reconheceram tudo o que ele havia feito em Jerusalém, na festa da Páscoa que eles também participaram.

Vivia ali um oficial do rei, que tinha um filho doente morando em Cafarnaum. Quando ele ouviu falar que Jesus havia chegado à Galileia, foi até ele e suplicou que ele fosse curar seu filho, que estava à beira da morte. Jesus advertiu ao oficial:

– Se você não ver milagres e fenômenos nunca vai acreditar. Ainda precisa de provas.

Mas o homem insistiu: Senhor, venha rápido, antes que o meu filho morra.

Jesus o tranquilizou:

– Pode ir. O seu filho continuará vivendo.

O homem confiou na palavra de Jesus e partiu. Estava ele ainda no meio do caminho quando empregados vieram ao seu encontro com notícias de que o menino passava bem. Quando ele perguntou a que horas o seu filho tinha melhorado, eles disseram:

– Ele ficou sem febre ontem, à uma hora da tarde.

Então o pai percebeu que aquela foi exatamente a hora em que Jesus disse a ele que seu filho continuaria vivendo. Diante disso, ele e toda sua família passaram a acreditar em Jesus.

Esse foi o segundo milagre que Jesus realizou depois de vir da Judeia para a Galileia.