Sem categoria

Episódio 152

A prisão de Jesus; a covardia dos aprendizes

A PRISÃO DE JESUS – Mateus 26:47-56; Marcos 14:43-52; Lucas 22:47-53; João 18:2-12

 

Judas, o traidor, conhecia bem aquele lugar, porque Jesus muitas vezes se reunia ali com os seus aprendizes. Então ele se dirigiu ao olival, levando consigo um destacamento de soldados e alguns guardas enviados pelos chefes dos bispos e religiosos. Era noite, então eles levavam tochas, lanternas e armas. Sabendo tudo o que ia acontecer, Jesus saiu ao encontro deles e perguntou:

– A quem vocês estão procurando?

– A Jesus de Nazaré – responderam eles.

– Sou eu – afirmou Jesus.

Ao ouvirem a resposta de Jesus, eles recuaram e caíram por terra. Novamente Jesus perguntou a eles:

– A quem procuram?

E eles disseram:

– A Jesus de Nazaré.

Jesus insiste:

– Já disse para vocês que sou eu. Se vocês estão me procurando, deixem ir embora os que estão comigo.

Isso aconteceu para que se cumprisse a previsão: “Não perdi nenhum dos que você me deu”. Judas havia combinado um sinal de denúncia com eles:

– Quem eu cumprimentar com um beijo, é ele que vocês devem prender.

Dirigindo-se a Jesus, Judas disse:

– Olá, mestre!

E o beijou, cordialmente.

Mas Jesus rebateu:

– Judas, como você pode fazer isto, trair o messias com um beijo?

Quando os outros discípulos viram o que estava para acontecer, reagiram:

– Mestre, podemos lutar? Temos facas!

Pedro avançou con­tra o assistente do bispo chamado Malco, cor­tando sua orelha direita. Jesus contestou:

– Não resistam mais.

E tocando na orelha do homem, a restaurou. Em seguida, voltou-se a Pedro:

– Guarde a faca! Todos os que empunham a faca, pela mesma faca vai perecer. Por acaso vou ser poupado da tarefa que o Pai me deu? Você acha que eu não posso pedir a meu Pai e ele não colocaria imediatamente à minha disposição mais de doze grupos de anjos? Mas como então se cumpriria o Livro dos Judeus, que prevê que as coisas deveriam acontecer desta forma? 

A COVARDIA DOS APRENDIZES

Jesus dirigiu-se aos sacerdotes supremos, aos capitães da guarda do templo e aos líderes religiosos:

– Será que eu estou chefiando alguma rebelião? Para que então vocês me prendem com facas e paus? Todos os dias eu ensinava no templo e vocês não me prenderam!

Mas tudo isso estava acontecendo para cumprir o Livro dos Videntes, que previu que haveria uma hora em que o mal supremo iria prevalecer. De repente, todos os aprendizes abandonaram Jesus e fugiram. Um jovem, vestindo apenas um lençol de linho, estava seguindo Jesus. Quando tentaram prendê-lo, ele saiu correndo nu, deixando o lençol para trás. Então o destacamento de soldados com o seu comandante e os guardas dos judeus prenderam Jesus e o amarraram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *