Sem categoria

Episódio 155

Jesus com o sumo Sacerdote; Jesus é entregue a Pilatos

JESUS NA PRESENÇA DO SUMO SACERDOTE – João 18:18-24

Fazia frio. Os ajudantes e os guardas estavam ao redor de uma fogueira que fizeram para se aquecer. Pedro também estava de pé com eles, aquecendo-se. Enquanto isso, os bispos interrogavam Jesus sobre seus aprendizes e seus ensinamentos. Jesus argumentou com eles:

– Eu falei abertamente e claramente a todos; sempre ensinei nas capelas e no templo, onde todos os judeus se reúnem. Não disse nada às escondidas, mas em público. Por que, então, vocês estão me interrogando? Perguntem a todos que me ouviram. Certamente eles sabem o que eu disse.

Quando Jesus disse isso, um dos guardas que estava perto bateu no seu rosto.

– Isso é jeito de falar com o Bispo? – irritou-se ele.

Jesus contestou:

– Se eu disse algo de mal, denuncie o mal. Mas se falei a verdade, por que me bateu?

Jesus estava com as mãos amarradas e Anás o mandou para o Caifás, o Bispo maior.

JESUS É ENTREGUE A PILATOS – Mateus 27:11-14; Marcos 15:2-5, Lucas 23:1-6; João 18:28-38

 

O julgamento de Jesus com Caifás terminou de manhã, sem nenhum avanço. Todos os cardeais, os mais sábios os mestres da religião e todo o Tribunal de Justiça reuniram-se para discutir as próximas a medidas serem tomadas e decidiram-se por mandar Jesus para Pôncio Pilatos, o governador romano. Amarrado, ele foi levado para Pilatos. Para evitar contaminação cerimonial, os judeus não entraram no palácio, pois queriam participar da Páscoa. Então Pilatos saiu do palácio e foi até eles, perguntando:

– Que acusação vocês têm contra este sujeito?

Eles responderam:

– Se ele não fosse criminoso, nós não teríamos entregado a você. Este sujeito vem subvertendo a nossa nação. Ele proíbe o pagamento de impostos a César e afirma ser ele mesmo o Cristo, um rei.

Pilatos se escusou:

– Julguem ele, então, conforme a Lei dos Judeus, elaborada por vocês mesmos.

– Mas nós não temos o direito de executar ninguém – protestaram os judeus.

Isso aconteceu para que se cumprissem as palavras que Jesus tinha dito, indicando a espécie de morte que ele estava para sofrer. Mas eles insistiam:

– Ele está subvertendo o povo por toda a Judeia com sua mensagem. Começou na Galileia e chegou até aqui.

Ouvindo isto, Pilatos perguntou a Jesus se era galileu e se ele era realmente o rei dos judeus. Jesus perguntou a ele:

– Esta pergunta é sua mesmo ou outros falaram para você sobre mim?

Pilatos se irritou:

– Acaso sou judeu? Foram o seu povo e os cardeais que entregaram você a mim. Que é que você fez?

Jesus explicou a ele:

– O meu reino não se ajusta com este sistema. Se se ajustasse, os meus aprendizes teriam lutado para impedir que os judeus me prendessem. O meu reino não é deste mundo.

– Ah então você é rei! – exclamou Pilatos.

Jesus rebateu:

– Você está declarando que eu sou rei. De fato, por esta razão nasci e por isso vim ao planeta Terra: para falar da verdade, para trazer a mensagem. Todos os que observam a verdade seguem as minhas orientações.

– Que é a verdade? – perguntou Pilatos, saindo do interior do palácio em direção ao local onde estava o povo judeu, e completando – Não vejo nesse homem motivo algum de acusação.

Mas o povo insistia:

– Ele engana o povo, ensinando por toda a Judeia, começando na Galileia até aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *