Sem categoria

Episódio 158

A morte na estaca

A MORTE NA ESTACA (CRUZ) – Mateus 27:32-38; Marcos 15:21-28; Lucas 23:26-34; João 19:17-24

 

Levando a estaca sobre os ombros, Jesus foi para o lugar chamado Caveira, que em aramaico se diz Gólgota. Enquanto o arrastavam, agarraram Simão de Cirene, pai de Alexandre e Rufo, que estava chegando do campo. Colocaram a estaca nas suas costas, fazendo com que ele a carregasse atrás de Jesus. Um grande número de pessoas ia atrás de Jesus, inclusive mulheres que lamentavam e choravam por ele, batendo no peito. Jesus voltou-se para o lado e as confortou:

– Filhas de Jerusalém, não chorem por mim; chorem por vocês mesmas e por seus filhos, pois vai chegar a hora em que vocês vão chamar de felizes as estéreis, as barrigas que nunca geraram e os seios que nunca amamentaram! Então vão pedir para serem soterradas pelos montes, pois se fazem isto com a árvore verde, o que acontecerá com vocês quando ela estiver seca?

Dois outros homens criminosos também foram levados com Jesus, para serem executados. Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, colocaram ali Jesus e os criminosos nas estacas, um à sua direita e outro à sua esquerda, cumprindo-se a Lei dos Judeus, que diz que ele seria incluído entre os malfeitores. Em seguida, deram vinho misturado com fel e mirra para ele beber. Depois de provar, recusou-se a beber. Após levantarem a estaca, os soldados ficaram sentados na relva, vigiando. Pilatos mandou fazer uma placa e pregar na estaca de Jesus, com a seguinte inscrição: JESUS DE NAZARÉ, O REI DOS JUDEUS. Muita gente leu a placa, escrita em hebraico, latim e grego, pois o lugar ficava próximo da cidade. Os cardeais dos judeus protestaram junto a Pilatos:

– Não escreva “O Rei dos Judeus”, mas “esse sujeito disse que era o Rei dos Judeus”.

Pilatos desconsiderou:

– O que escrevi, escrevi.

Ao colocar Jesus na estaca, os soldados pegaram as roupas dele e dividiram em quatro partes, uma para cada um deles, sobrando a túnica. A túnica era sem costura, tecida numa única peça, de alto a baixo.

Não vamos rasgar a túnica – disseram uns aos outros. – Vamos decidir por sorteio quem vai ficar com ela.

Isto aconteceu para que se cumprisse a Lei dos Judeus, que previa que eles dividiram as suas roupas entre si e tirariam sortes por suas vestimentas. Contemplando tudo isso, Jesus murmurou:

– Pai, perdoa essas pessoas, pois elas não sabem o que estão fazendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *