Sem categoria

Episódio 132

Episódio 132

A orientação suprema;  Senhor de Davi

 

A ORIENTAÇÃO SUPREMA

Mateus 22:34-40; Marcos 12:28-34; Lucas 20:39,40

Ao ouvirem dizer que Jesus havia deixado os religiosos sem resposta, eles se reuniram para matutar uma pergunta mais difícil e capciosa. Um deles, mestre na Lei dos Judeus, quis testar Jesus com esta pergunta:

– De todas as orientações de Deus, qual é a mais importante?

Respondeu Jesus, prontamente:

– A mais importante é esta: escuta, ó Israel, o Senhor nosso Deus, o Senhor Deus é um só. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo seu entendimento e com todas as tuas forças. A segunda é esta: amarás o seu colega como se fosse você mesmo. Não existem orientações mais importantes do que estas, pois delas se originam toda a Lei dos Judeus e exigências dos videntes. Observem apenas essas e estarão cumprindo as demais.

– Muito bem, mestre – disse o sujeito. – Estás certo ao dizeres que Deus é um e que não existe outro que não seja Ele. Amar a ele com todo o coração, com todo o entendimento e com todas as forças e amar ao colega como se fosse a si mesmo é mais importante do que todos os atos religiosos.

Notando sua inteligência, Jesus concordou com ele e garantiu:

– Você não está longe do Reino de Deus.

 

O SENHOR DE DAVI – Mateus 22:41-46; Marcos 12:35-37; Lucas 20:41-4

Jesus continuou ensinando no templo.

– O que vocês acham do Cristo? Perguntou ele. Ele é filho de quem?

– É filho de Davi – responderam os presentes.

Alguns mestres da Lei dos Judeus concordaram:

– Mestre, você falou muito bem!

Nenhum presente ousava pergunta mais alguma coisa a Jesus. Então ele questionou:

– Como é que Davi, falando orientado pelo Espírito, chama ele de “Senhor”, afirmando: “O Senhor disse ao meu Senhor: assente-se à minha direita até eu derrotar os teus inimigos”? Se o próprio Davi chama ele de Senhor, como pode, então, ser ele seu filho?

A multidão o ouvia com prazer e atenção. Ninguém conseguia contestar mais nada e, daquele dia em diante, ninguém jamais se atreveu a provocá-lo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *