Sem categoria

Episódio 74

A cura do cego

 

A CURA DO CEGO – João 9:1-41

Jesus e seus aprendizes estavam passando quando viram um cego de nascença. Olhando para ele, os aprendizes perguntaram:

– Mestre, quem cometeu maldades para que este homem nascesse cego: ele mesmo ou seus pais?

Jesus respondeu:

– Nem este homem nem seus pais cometeram maldades, mas isto aconteceu para que Deus tivesse a oportunidade de fazer algo extraordinário na vida dele. Enquanto é dia, a gente precisa desempenhar o papel de quem me enviou para o planeta Terra. Quando a noite se aproxima ninguém consegue trabalhar. Enquanto eu estou no mundo, sou a luz do mundo. Em seguida, Jesus cuspiu no chão, misturou terra com saliva e esfregou a pasta nos olhos do cego. Depois, recomendou:

Vá e lave-se no tanque de Siloé.

O cego atendeu a orientação, lavou-se e voltou enxergando. Seus vizinhos e outros que sempre o viram como cego e mendicante ficaram intrigados:

– Não é este o cego que vivia sentado, mendigando?

Alguns juravam que era ele. Outros diziam que não, que apenas se parecia com ele. Mas ele próprio insistia:

– Sou eu mesmo.

– Então, como você agora está vendo? – interrogaram eles.

Ele respondeu:

– Um sujeito chamado Jesus misturou terra com saliva, passou nos meus olhos e me mandou ir ao tanque de Siloé para lavar. Fui, lavei e agora estou vendo.

– Onde está esse sujeito? – perguntaram.

– Não sei – ele disse.

Levaram então o homem que era cego aos religiosos. Era sábado o dia em que Jesus fez esse milagre. Então os religiosos também perguntaram ao cego como é que ele tinha voltado a ver. O cego respondeu, novamente:

– Um sujeito passou uma mistura de terra e saliva em meus olhos, me lavei e agora estou vendo.

Alguns dos religiosos afirmaram:

– Esse sujeito não é de Deus, pois não respeita o dia de sábado.

Mas outros questionaram:

– Como pode uma pessoa ruim fazer tais milagres?

Assim, ficaram com a opinião dividida e voltaram a perguntar ao cego:

– O que você diz sobre esse sujeito que abriu os seus olhos?

O homem respondeu, sem titubear:

– Ele é um vidente mandado por Deus.

Os judeus continuavam a não acreditar que ele era cego e agora via, então mandaram chamar os seus pais e perguntaram a eles:

– É este mesmo o filho de vocês? Ele realmente nasceu cego? Como é que ele está vendo agora?

Responderam os pais, humildemente:

– Sabemos que ele é nosso filho e que nasceu cego. Mas não sabemos como ele está vendo agora ou quem abriu os olhos dele. Mas perguntem a ele. Ele é maior de idade e pode falar por si mesmo.

Seus pais foram evasivos porque tinham medo dos líderes dos judeus, pois eles já haviam avisado que quem dissesse que Jesus era o Cristo, seria expulso da capela.

Pela segunda vez, chamaram o homem que era cego e o orientaram:

– Agradeça a Deus e não a esse sujeito. Sabemos que ele é mau-elemento.

Ele questionou:

– Não sei se ele é mau-elemento ou não. Uma coisa eu sei: eu era cego e agora vejo!

Eles não se conformavam e insistiam:

– O que ele fez? Como abriu os seus olhos?

Ele repetiu:

– Eu já disse a vocês, mas vocês não acreditam. Por que querem ouvir outra vez? Por acaso vocês também querem se tornar seguidores dele?

Os líderes judaicos ficaram furiosos e o insultaram:

– Seguidor dele é você! Nós somos seguidores de Moisés! Sabemos que Deus falou a Moisés, mas, quanto a esse sujeito, não sabemos nada a respeito dele.

O homem continuou a provocar:

– Ora, isso é espantoso! Vocês não sabem nada a respeito dele e ele simplesmente me abriu os olhos. A gente sabe que Deus não ouve aos maus-elementos, mas ouve ao homem que O respeita e pratica a sua vontade. Ninguém nunca imaginou que os olhos de um cego de nascença se abririam. Se esse sujeito não fosse de Deus, não poderia fazer coisa alguma.

Eles ficaram ainda mais bravos:

– Você nasceu cheio de maldades; como tem a ousadia de querer nos ensinar?

E então o enxotaram. Jesus ficou sabendo o que fizeram com ele e, ao reencontrá-lo, perguntou:

– Você acredita no Deus-humano?

O homem, então, questionou:

– Você sabe quem é ele, Senhor, para que eu possa acreditar?

Jesus afirmou:

– Você já o viu. É quem está falando com você.

Atônito, o homem exclamou:

– Senhor, eu acredito.

E adorou a Jesus. Jesus concluiu:

– Eu vim a este mundo para contrariar, para que os cegos vejam e para que os que veem se tornem cegos.

Ao ouvir isso, alguns religiosos que estavam por perto questionaram Jesus:

– Você está querendo dizer que nós também somos cegos?

Jesus arrematou:

– Se vocês fossem cegos, não seriam culpados de nada; mas como afirmam que enxergam, continuam culpados porque sabem o que estão fazendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *