Sem categoria

Episódio 75

Episódio 75

O bom pastor

 

O BOM PASTOR – João 10:1-21

Jesus continuou a ensinar os seus seguidores:

– Quem não entra no curral das ovelhas pela porteira, mas sim pulando a cerca, é ladrão e assaltante. Apenas quem entra pela porteira é o pastor das ovelhas. O pastor abre a porteira, e as ovelhas reconhecem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e as leva para fora, para pastar. Depois, ele vai na frente delas e elas o seguem porque reconhecem que é a sua voz. Ovelhas não seguem um estranho, elas fogem dele porque não reconhecem a sua voz.

Jesus usou esta comparação, mas eles não conseguiram entender o que ele queria dizer.

Jesus, então, explicou:

– Acreditem: Eu sou a porteira das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim eram ladrões e assaltantes, mas as ovelhas verdadeiras não os ouviram. Eu sou a porteira; quem atravessar por mim será liberto, terá a liberdade de entrar e sair e sempre achará pastagem verde. O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; o objetivo da minha vinda ao planeta Terra é que vocês tenham vida, e vida plena. Eu sou o pastor cuidadoso. O pastor cuidadoso dá a sua vida pelas ovelhas. O falsário não é o dono das ovelhas. Quando o falsário vê o lobo chegando, abandona as ovelhas e foge. Então o lobo ataca e espalha o rebanho. Ele foge porque é apenas um mero falsário e não se importa com as ovelhas. Eu sou o pastor cuidadoso; conheço as minhas ovelhas e elas me reconhecem; assim como o Pai Celestial me reconhece e eu reconheço o Pai. Deliberadamente, dou a minha vida pelas ovelhas. Tenho também outras ovelhas que não fazem parte deste curral. Eu preciso trazê-las também para o meu curral. Elas ouvirão a minha voz e aí se formará um só rebanho e um só pastor. Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomar as ovelhas de novo. Ninguém pode tirar a minha vida sem a minha permissão, mas eu a entrego por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para entregar e para retomá-la de volta. Esse direito eu recebi de meu Pai.

Ao escutarem essas palavras, os líderes dos judeus ficaram outra vez divididos na opinião sobre Jesus. Muitos faziam juízo dele:

– Ele está com mau espírito ou está doido. Não faz sentido ouvir suas asneiras.

Mas outros contestavam:

– Estas palavras não são de um sujeito com mau espírito. Será que um mau espírito consegue abrir os olhos dos cegos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *